Madonna iniciou sua turnê “Madame X” de maneira tipicamente controversa na noite passada – com peças ousadas e mensagens políticas bruscas.

A Rainha do Pop, de 61 anos, fingiu realizar um ato sexual consigo mesma, comparou uma música a dormir com Mozart e zombou da masculinidade do presidente Donald Trump.

Ela também trouxe três de seus filhos para o palco diante da platéia de 2.000 pessoas na Academia de Música do Brooklyn. Questionada sobre o que ela queria dizer à multidão, a filha de sete anos Stella disse: “Eu também” – em referência à campanha de abuso sexual. Stella também se juntou à irmã Esther, cantando: “I’m not your bitch“.

Madge, que pediu desculpas pelo atraso do show, pegou uma garrafa de cerveja e brincou que encontrou um de seus dançarinos no aplicativo de namoro gay, o Grindr.

Depois de cantar o hit “Papa Don’t Preach“, de 1986, ela disse à platéia: “Acho que as mulheres importantes têm o direito de decidir o que fazer com seus corpos“. Em outro momento, ela brincou: “Como você chama um homem com um pênis pequeno? Donald Trump!

De seu tempo em Portugal enquanto o filho David Banda, 13 anos, seguia uma carreira no futebol, ela disse que estava “sozinha, entediada e sem amigos“. Ela acrescentou: “Fui convidada para um clube de fado. A música é composta de melancolia, tristeza e saudade – a melhor descrição de mim.

Ela nunca jogou de acordo com as regras! E, em sua turnê de teatro “Madame X“, Madonna pegou o livro, rasgou e cuspiu.

A pequena Academia de Música do Brooklyn deu aos fãs de Madonna a experiência mais intensa e íntima com seu ídolo, e ela lhes deu mais do que apenas uma apresentação emocionante.

Ela ofereceu a chance ao público de 2.000 a oportunidade de falar e interagir com ela o tempo todo – algo quase nunca feito por estrelas de sua magnitude. Sua voz era impressionante e chave durante todo o processo – tirando todas as dúvidas que surgiram no “Eurovision“, onde ela foi decepcionada por uma falha técnica.

Madonna trabalhou perfeitamente em 23 músicas, incluindo os clássicos “Vogue” e “Like A Prayer“, juntamente com uma resma de seus sucessos mais recentes, como “Medellín“. Ela dançou e se contorceu na apresentação de duas horas e 15 minutos e mal pareceu sem fôlego. A decisão de Madonna de proibir telefones também tornou a experiência mais pessoal e ela se divertiu ao poder olhar nos olhos da platéia.

Com sua “Madame X Tour“, Madonna redefiniu os concertos pop modernos como os conhecemos e coloca jovens superstars na sombra com suas rotinas ousadas e incrível alcance vocal. Se alguém duvidou que Madonna ainda pudesse fazer algo novo, posso dizer com segurança que ela definitivamente o faz.

Tradução RainhaMadonna