Menos de uma hora depois que ela entregou uma apresentação inesquecível e marcante em sua carreira, Madonna ficou nos bastidores do “Billboard Music Awards” com um tapa-olho, explicando como as sementes de seu próximo álbum, “Madame X“, foram plantadas mais de três décadas atrás.

“’Madame X‘ foi um nome dado a mim quando eu tinha 19 anos e me mudei para Nova Iorque, por uma mulher que eu admirava”, disse Madonna ao diretor sênior de gráficos da Billboard, Keith Caulfield. A mulher que ela estava se referindo era a gênese da dança moderna, Martha Graham, que influenciou a coreografia de Madonna como mentora, antes de sua morte em 1991. “E ela me deu esse nome porque disse que não podia reconhecer todas as minhas diferentes personas, porque eu continuei mudando a maneira que eu era.”

“E isso foi no início da minha carreira, quando eu não pensava sobre quem eu deveria ser ou o que deveria ser – eu estava experimentando”, continuou Madonna. “E então eu senti como se tivesse feito um círculo completo, e deu o nome à este álbum, porque eu estou no mesmo estado de espírito.”

Se o título de “Madame X“, o décimo quarto álbum de estúdio de Madonna que será lançado em 14 de junho, reflete a natureza complexa e multifacetada de sua estética pop, o mesmo acontecerá com a extensão do full-length. Já houve “Medellín”, o mid-tempo, a confecção do pop latino, junto com o galã colombiano Maluma, lançado no mês passado, bem como o opulento videoclipe cinematográfico da faixa, que chega a quase sete minutos.

Depois, houve a apresentação da música no “Billboard Music Awards“, que combinou dançarinos ao vivo e “BDSM” leve com tecnologia de realidade aumentada, o que permitiu que vários avatares de Madonna aparecessem no palco durante a transmissão da cerimônia. Madonna diz que ela surgiu com o conceito para o conjunto de arregalar os olhos “muitos, muitos meses atrás”, e exigiu semanas de ensaios para configurar corretamente suas personas para a tela verde.

https://www.youtube.com/watch?v=P2vt4YvwOQg

No entanto, por mais ambiciosa que tenha sido a apresentação visual de “Medellín”, a música representa apenas a primeira parte do lançamento de várias músicas que Madonna planejou nas próximas seis semanas. A colaboração de Maluma já foi seguida por “I Rise”, a canção solo teatral que encerra a lista de faixas de “Madame X” e foi revelada na sexta-feira (3 de maio). A faixa inspiradora apresenta uma amostra de discurso feita pela sobrevivente de um massacre, Emma González.

O próximo passo é “Crave”, o combustível emparelhado com Swae Lee, em 10 de maio; O rapper Rae Sremmurd está atualmente em alta temporada como artista, graças a sua aparição em “Unforgettable”, de French Montana, “Sicko Mode”, de Travis Scott, e “Close to Me”, de Ellie Goulding e Diplo. Uma colaboração de Quavo que também foi produzida por Diplo, em 17 de maio, e finalmente em 7 de junho trará “Dark Ballet“, uma das músicas mais multidimensionais do novo álbum, de acordo com o presidente da “Maverick Music“, Greg Thompson.

“[O álbum] é uma jornada, e há muitos capítulos”, explica Thompson sobre a decisão de lentamente sair cinco faixas antes do lançamento, um desvio dos lançamentos anteriores de Madonna. Seu último álbum, “Rebel Heart“, de 2015, sofreu vazamentos meses antes do lançamento, resultando em seis músicas serem lançadas mais cedo para uma pré-venda do iTunes. “Em um mundo onde somos mais voltados para músicas do que há muito tempo como indústria, tornou-se uma verdadeira questão e um desafio: como podemos ter certeza de que as pessoas realmente entenderão esse álbum quando chegar? Ele ainda tem músicas que podem ser singles de sucesso em certas áreas?

Para esse fim, “Crave” com Swae Lee se tornará o single de rádio pop de fato após seu lançamento, com um vídeo musical oficial em breve. Enquanto isso, “Medellín” – que recebeu um lançamento global de televisão nas redes da Viacom em abril – continuará sendo impulsionado nos mercados latinos. A decisão de liderar com “Medellín” ao invés de “Crave” veio à tona pela crença de que era “o caminho certo para o corpo do trabalho e o lugar certo para começar a contar a história”, diz Thompson. Ele acrescenta: “Acho que temos uma boa chance de conseguir um disco dos cinco melhores remixes [de Medellín].

Além dos próximos lançamentos de músicas e vídeos, Madonna confirmou à Billboard que já houve reuniões de produção para sua próxima turnê. A promoção de “Madame X” também contará com mais algumas surpresas – incluindo o uso adicional da plataforma de vídeo TikTok, onde Madonna lançou o “#MedellínChaChaChaChalange” no início desta semana. “Ela começou a brincar”, diz Thompson com uma risada, “e estamos nos divertindo com isso. Nós achamos que é legal”.

Acima de tudo, o lançamento foi concebido para capturar a criação multi-continente de “Madame X“, depois de Madonna ter se mudado para Lisboa em 2017. “Crave” foi uma das canções que foi concebida em Portugal quando a estrela pop começou a focar no surgimento das faixas – que variam em idioma, do inglês ao espanhol e ao português – nasceram na Colômbia, no Brasil e nos Estados Unidos, entre outros locais.

Então, daquela lista de 13 músicas, o que essas cinco faixas de pré-lançamento representam para Madonna? “Um pequeno banquete de delícias”, diz ela com um sorriso largo. “Aperitivos de todo o mundo”, disse ela à Billboard.