Por Latin Times.

Rebelde, rockstar, inovadora, destemida, são apenas algumas palavras para descrever a suprema rainha do pop, Madonna. A Billboard nomeou Madonna como a artista solo de maior sucesso em sua história no Hot 100 e a artista de turnês de maior bilheteria de todos os tempos. Sem dúvida, ela é a artista feminina de maior sucesso de todos os tempos.

Mas com fama, sucesso, poder e base sólida como um ícone pop vem o amor e o ódio. Afinal, a cantora de Material Girl resume isso na maioria de suas músicas, um modelo que ela havia exposto antes da era de Beyoncé e Taylor Swift. Listadas abaixo estão algumas razões pelas quais as pessoas amam odiar Madonna. Ela age como um macho alfa

O sucesso de Madonna ultrapassou vários status ao ponto dela estar agindo como um macho alfa (ou feminino). Madonna é persistente, controladora, trabalhadora e fisicamente apta até mesmo para a sua idade, adjetivos para descrever um alfa.

Mas Madonna também é narcisista, sem remorso, assertiva e poderosa. Quando uma mulher age como homem, as pessoas não aguentam. Ela exibe seu narcisismo

O ego de Madonna está além de sua característica pessoal, é mais como uma marca. Ela fez um esforço consciente para ser narcisista, porque ela sabe que o mundo está observando. Em “Understanding Popular Culture”, escrito pelo estudioso de mídia e professor de comunicação John Fiske, ele analisou o fenômeno Madonna na década de 1980.

Madonna conhece bem a importância da aparência, do visual, escreveu Fiske. Esse é um conceito complexo, pois inclui como ela aparenta estar, como ela olha para os outros, a câmera em particular e como os outros a enxergam, explicou ele. Diz-se que ela tem um talento mínimo, mas com enorme sucesso

O que Cyndi Lauper, Janet Jackson, Cher, Kylie Minogue e até Lady Gaga têm em comum? Muitas acreditam que são mais talentosas que Madonna. Mas como Madonna ganhou o título de rainha do pop?

Madonna vai além da música e do talento e explora atitude, moda e estilo de vida. Autores internacionais a rotularam como a Rainha do Pop por causa de seu impacto sociocultural, o que desperta o interesse de sociólogos, historiadores e cientistas sociais. Sua música e talento nunca saem de moda. Ela se reinventa e define tendências, independentemente da época e do cronograma.

Além disso, a cantora de Like A Virgin vendeu cerca de 335 milhões de álbuns e singles, incluindo faixas digitais, em todo o mundo em toda a sua carreira, provando que ela é a rainha. As realizações de Madonna foram acima das vendas recordes e do sucesso comercial. Ela é um império e uma lenda. Ela se reinventa de maneiras incomuns

Madonna é a rainha de praticamente tudo no mundo pop, mas a Rainha do Pop se reinventa provocando controvérsias sobre raça e apropriação cultural, abraçando a sexualidade feminina, apresentando o sutiã cônico ao mundo e provando que mulheres mais velhas são relevantes. Ela viveu tempo suficiente para se tornar uma vilã

Um usuário do Reddit atribuiu a antipatia das pessoas por Madonna ao fato dela ainda estar vivendo e sendo muito relevante por tanto tempo, que se tornou uma vilã. No mundo do bem e do mal e da cultura pop, o protagonista ou morre um herói ou vive o suficiente como se fosse um vilão.

Traduzido por Jonas Andrade.
Fonte – www.latintimes.com/madonna-pop-icon-people-love-hate-438066