fbpx

Madame X Tour: Relato do show do dia 19!

Trazemos com exclusividade mais um relato de um dos shows da Madame X Tour em NY. Desta vez o relato é do fã Ricardo Cazelato, que esteve presente no show do dia 19 de setembro em Nova Iorque e nos conta de forma única como foi sua experiência ao assistir o novo show da Rainha do Pop. Desde já agradecemos o carinho do Ricardo ao compartilhar com a gente esse momento especial. Confira:

Quando Madonna anunciou a turnê Madame X, não imaginava o que vinha pela frente. Madonna surpreendeu e continua a emocionar sempre meu coração.

Cheguei dia 19 de setembro às 19:30h no teatro BAM em NYC com o coração ansioso para poder assistir Madonna. Após verificação do ingresso e celular devidamente lacrado e desligado cheguei na orquestra, onde deparei com uma elegante cortina vermelha com um X em preto no centro do palco. O show demorou para começar e alguns tinham famosos na plateia como Liz rosemberg com as famosas borboletas na cabeça, Bono Vox da banda U2, Michelle Alves, esposa do Guy Oseary entre outros.

O show começou às 22:40h com um bailarino do lado do palco e um vulto de Madame X teclando numa máquina de datilografia uma mensagem do James Baldwin. Os elementos do palco basicamente giram em torno de duas escadas que possuem portas, círculo e pequenas escadas. Praticamente um grande lego além de um belo piano e uma máquina de datilografia que conduz todo espetáculo. Os primeiros acordes de God Control fazem meu coração acelarar ao ver Madonna de chapéu de pirata, muito feliz e linda. Madonna basicamente explorou as canções do seu novo álbum, Madame X e mesclou com seus grandes hits da carreira como Humane Nature e Express Yourself, e para surpresa geral, as gêmeas Estere e Stella, filhas da Madonna e Mercy James dançam nesta parte do show.

Em Papa Don’t Preach Madonna levanta novamente o tema aborto. Vogue com a mesma perfomace da parada Gay de NY levanta o público que canta e dança ao som deste eterno hit. Madonna tira foto polaroide e faz pequeno leilão desta foto e diz que o empresário dela diz que ela é completamente doida, pelo formato intimista da tour, e que esta seria a grana que teria de lucro. Madonna ainda completa dizendo que faz shows pela liberdade de expressão.

Cito alguns momentos que a emoção veio a tona:

Batuka e todas aquelas 14 mulheres talentosas e felizes da Orquestra de Batucadeiras se juntam com Madonna, e antes de iniciar a canção, um belo vídeo é projetado com canção Maria mãe de Jesus. Ficou sensacional. Entendi melhor o porque que Madonna ficou tão encantada com outras culturas que fizeram nascer o Madame X.

Frozen foi na minha opinião a melhor performance da tour .Assisti com lagrimas nos olhos e não consegui segurar a emoção de ver algo tão lindo e grandioso. Lola no telão e Madonna ao fundo cantando, parecendo que está flutuando no ar. Uma performance brilhantemente.

– Em Dark Ballet, Come Alive, Like A Prayer e I Don’t Search I Find, parece que estamos dentro de um videoclipe.

– Em American Life vejo uma Madonna firme e cantando com vontade. No final uma voz pré-gravada intercala com a canção dizendo Madame X.

– Madonna surpreende cantando um fado e uma canção de Cesaria Evora chamado “Sodade”. No bloco “português”, Madonna mostra o que aprendeu em Portugal e com a maior animação, desliza sentada com algumas escadas que andam pelo palco.

Ela canta Extreme Occident, sobe no piano toca violão e se diverte em Medellín e La Isla Bonita, que não poderia faltar, e chega descer na platéia lateral.

Crazy ficou muito bonita ao vivo. Ela está perfeita cantando Killers Who Are Partying e canta certinho em português.

– Em Future, Madonna tocando piano mostra várias imagens, incluindo a Amazônia. Em diversas partes do show ela interage com a platéia.

Uma das minhas cançoes favoritas do álbum Madame X é Crave. Numa pegada genial de um remix gostoso, da Dj Tracy Young, ela canta e dança de uma forma inesquecível.

Uma grande emoção que tive nesta tour foi em I Rise. Madonna desce no meio da musica e vai saindo pelo corredor principal. No corredor, ela passa pelos fãs, que ergem as mãos, e ela vai cumprimentando todos ao passar pelas cadeiras. Quando ela passou por mim, estiquei a mão e ela correspondeu. O olhar da Madonna é fuzilante. Ela está linda e sorridente nesta tour. Ela saiu atrás dos bailarinos após passar por mim e acompanhei ela desaparecer por uma porta do teatro.

Posso dizer que foi uma das turnês que mais me marcou por ser em um espaço tão reduzido de pessoas. E assim entendi melhor porque Madonna queria que seus fãs tivessem a experiência sem celular ou qualquer outra forma de registro. Vou guardar esta tour na memoria com muito carinho. Saí do teatro sentindo o maior orgulho de ser fã da Madonna.

Mais uma vez obrigado ao Ricardo por esse lindo relato, pelo carinho de compartilhar isso com a gente. E aí, curtiram? Conta lá no nosso facebook!